Atenção: Ative o som dos vídeos  e amplie para tela cheia, assim você evita as faixas pretas durante a reprodução (o youtube apresenta este problema em todas as plataformas fora do próprio site.)

Conheça a história de pessoas que enriquecem o nosso mundo.

Rick Chester

Desde pequeno, Rick Chester aprendeu com seu pai: " A vida é a lei da semeadura". Este ensinamento, mais o exemplo de seu pai ajudaram Rick a manter-se nos trilhos da honestidade, mesmo vindo de uma realidade difícil. Rick Chester semeou o conhecimento através dos livros, e o empreendedorismo através da venda de água na praia de Copacabana (além de outros empreendimentos anteriores), por longos anos.
Eis que um dia chegou o momento da colheita, seu vídeo da água viralizou, e a grande oportunidade veio. Hoje ele inspira o Brasil e o mundo palestrando em Harvard e outros lugares, sem perder o contato com as pessoas que construiram quem ele se tornou. 

Maria Eulina

ong-clubedemaesdobrasil-logo.png

Há mais de 30 anos, Maria Eulina Hilsenbeck morou nas ruas de São Paulo, situação esta que perdurou por cerca de dois anos, e da qual saiu graças a ajuda de uma desconhecida que se tornou sua amiga. Em vez de lamentar ter vivido em tal circunstância, Maria Eulina se instruiu e fundou o projeto Clube das Mães do Brasil, projeto este que ajuda centenas de famílias em situação de rua e socialmente vulneráveis. Seu principal trabalho é a capacitação profissional, inserindo as pessoas no contexto social a ponto de torná-las economicamente independentes, estimulando o empreendedorismo. 
Conheça a história de Maria Eulina assistindo o vídeo acima e aproveite a oportunidade para aprender com seu precioso sentimento e sábias palavras!

Malala Yousafzai

Malala Yousafzai nasceu em 12 de julho de 1997 no Paquistão.
Militante dos direitos das crianças, é uma jovem paquistanesa que foi vítima de um atentado por defender o direito das meninas de ir à escola. Com 17 anos, foi a mais jovem ganhadora do Prêmio Nobel da Paz.
No site malala.org, é contada a sua história:

 

"Receber uma menina nem sempre é motivo de comemoração no Paquistão - mas meu pai, Ziauddin Yousafzai, estava determinado a me dar todas as oportunidades que um menino tivesse."

"Meu pai era professor e dirigia uma escola para meninas em nossa aldeia. Eu amei a escola. Mas tudo mudou quando o Talibã assumiu o controle de nossa cidade no Vale do Swat. Os extremistas baniram muitas coisas - como ter uma televisão e tocar música - e aplicaram punições severas para aqueles que desafiaram suas ordens. E eles disseram que as meninas não podiam mais ir à escola.

Em janeiro de 2008, quando eu tinha apenas 11 anos, disse adeus aos meus colegas de classe, sem saber quando - se é que - os veria novamente."

"Falei publicamente em nome das meninas e do nosso direito de aprender. E isso me tornou um alvo. Em outubro de 2012, no meu caminho para casa da escola, um atirador mascarado embarcou no meu ônibus escolar e perguntou: “Quem é Malala?” Ele atirou em mim do lado esquerdo da minha cabeça.

Acordei 10 dias depois em um hospital em Birmingham, Inglaterra. Os médicos e enfermeiras me contaram sobre o ataque - e que pessoas ao redor do mundo estavam orando por minha recuperação".

"Após meses de reabilitação, juntei-me à minha família em nossa nova casa no Reino Unido. Foi então que eu soube que tinha uma escolha: poderia viver uma vida tranquila ou aproveitar ao máximo esta nova vida que me foi dada. Decidi continuar minha luta até que todas as meninas pudessem ir para a escola.

Com meu pai, que sempre foi meu aliado e inspiração, criei o Malala Fund, uma instituição de caridade dedicada a dar a cada menina a oportunidade de alcançar o futuro que ela escolher. Em reconhecimento ao nosso trabalho, recebi o Prêmio Nobel da Paz em dezembro de 2014 e me tornei a mais jovem ganhadora do Prêmio Nobel."

Em 2018, comecei a estudar Filosofia, Política e Economia na Universidade de Oxford. E todos os dias luto para garantir que todas as meninas recebam 12 anos de educação gratuita, segura e de qualidade.

Eu viajo para muitos países para encontrar meninas que lutam contra a pobreza, guerras, casamento infantil e discriminação de gênero para ir à escola. O Fundo Malala está trabalhando para que suas histórias, como a minha, possam ser ouvidas em todo o mundo.

Investimos em educadores e ativistas de países em desenvolvimento, como meu pai, por meio da Rede de Campeões de Educação do Fundo Malala . E responsabilizamos os líderes por suas promessas às meninas.

2020- "Eu me formei na Universidade de Oxford! Sempre irei guardar meu tempo em Lady Margaret Hall - as palestras, reuniões de clube, bailes e madrugadas (alguns passaram a terminar trabalhos, outros apenas conversando com amigos no dormitório). Embora uma pandemia global tenha significado que passei meus últimos meses como estudante universitária na casa de meus pais, sou grata por ter completado minha educação. Depois de um tempo para relaxar, estou mais dedicada do que nunca à minha luta pelas meninas.

Com mais de 130 milhões de meninas fora da escola hoje, há mais trabalho a ser feito. Espero que você se junte à minha luta pela educação e igualdade. Juntas, podemos criar um mundo onde todas as meninas podem aprender e liderar."

Extraído do site https://malala.org/

Leia o livro"Eu sou Malala" e assista ao filme (trailer acima) para saber mais sobre o seu  exemplo de superação e inspirar-se!
 

music.jpg

Música

filme.jpg

Filmes

flores.jpg

Arte das Flores

dança.jpg

Dança

animação.jpg

Animação

pintar.jpg

Pintura e Desenho

teatro.png

Teatro

livro.jpg

Livros

amor e paz.png

Arte do Bem

"Acredito que a missão da Arte é melhorar os sentimentos humanos e enriquecer a vida, dando alegria e sentido a ela."
Meishu-Sama*

Veja este site em seu PC para ter uma experiência completa!

Siga-nos nas redes sociais

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram